Canoagem de velocidade: Parece absurdo, mas o Brasil poderia ter se saído melhor

Sei que parece uma heresia dizer isso, mas eu esperava um desempenho melhor do Brasil na canoagem de velocidade na Rio-2016. Calma que eu explico. O número de medalhas conquistadas (três) foi superior à minha expectativa. Mas eu acreditava que, sendo os atuais campeões mundiais no C2 1000m, Isaquias Queiroz e Erlon Souza (foto) conquistariam o ouro. Ao menos eles perderam – por uma pequena diferença – para a Alemanha, país que domina essa modalidade nos Jogos desde Atenas-2004.

isaquias e erlon

Fiquei com a impressão de que Isaquias poderia ter se concentrado na prova do C2 1000m, a que ele tinha mais chances, em vez de se desgastar em três provas. Enfim, ele é ainda jovem e se mantiver o ritmo terá chance em Tóquio-2020.

Os alemães confirmaram o que eu esperava deles: ganharam quatro ouros. A Nova Zelândia se saiu pior do que a expectativa. Lisa Carrington ganhou “só” um ouro nas duas provas em que ela era favorita (na outra levou o bronze). Mas a maior decepção foi a França. Saiu do Rio sem nenhuma medalha. Eu apostava nos franceses para levarem dois ouros e três pratas!

Fui surpreendido pelo desempenho de Hungria (três ouros) e Espanha (dois). Para os húngaros eu só tinha previsto uma prata e para os espanhóis nenhuma medalha.

Meu percentual de acertos na canoagem de velocidade foi baixo (13,9%). O de medalhistas foi razoável (44,4%).

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s