Como é feito

Para prever os resultados das Olimpíadas de 2016 não usei nenhuma técnica paranormal nem de futurologia. Na verdade usei muito trabalho. Desde agosto de 2015 venho estudando os rankings e resultados das 42 modalidades esportivas olímpicas para definir qual é a melhor maneira de entender quem é favorito em cada prova.

Em 27 modalidades (ver lista no pé da página) esse trabalho não foi tão difícil. Todas elas mantêm rankings mundiais, atualizados com maior ou menor periodicidade (alguns são semanais, como o tênis, outros são atualizados uma ou duas vezes por ano, como o vôlei).

Em outras três modalidades (atletismo, natação e levantamento de peso) basta consultar as melhores marcas. Estabeleci como critério considerar as marcas do período de um ano antes das Olimpíadas (desde 1/8/2015), o que inclui os Campeonatos Mundiais.

usain-bolt-justin-gatlin

O atletismo é um caso clássicos em que as melhores marcas determinam os meus resultados. Apesar de o jamaicano Usain Bolt (à direita) ser apontado como o favorito nos 100m rasos, o estadunidense Justin Gatlin tem a melhor marca 

Em cinco modalidades que não têm rankings mundiais nem estão baseadas em marcas (como o mais rápido ou o mais forte) apelei para os resultados de competições específicas. No caso das lutas considerei o Campeonato Mundial realizado no ano passado e para o nado sincronizado o Mundial de Esportes Aquáticos, também realizado em 2015.

Para o pólo aquático considerei a Liga Mundial de 2016, que reúne os principais países do mundo e terminou depois do Mundial de Esportes Aquáticos. E para o rúgbi levei em conta o Mundial da modalidade rúgbi-7, a que estará presente nas Olimpíadas (que conta com sete jogadores em cada time, diferentemente do rúgbi tradicional, que tem 15).

biles

A ginástica artística é uma das modalidades que deu mais trabalho. Se eu não criasse meu próprio ranking e usasse o da Copa do Mundo, a multicampeã estadunidense Simone Biles não seria apontada como favorita no individual geral

Seis modalidades exigiram um esforço maior. Elas não têm rankings mundiais tão detalhados nem marcas que possam ser comparadas nem competições que reúnam os melhores atletas em todas as etapas. É o caso das três modalidades de ginástica (artística, rítmica e trampolim), da canoagem velocidade, do remo e da maratona aquática. Vamos estudar caso a caso:

  • Ginástica rítmica e de trampolim – para essas modalidades montei um ranking com os resultados dos Mundiais de 2015 e das etapas da Copa do Mundo realizadas no segundo semestre de 2015 e no primeiro de 2016. Para a ginástica rítmica valem somente os quatro melhores resultados e para a de trampolim os três melhores. Os resultados dos Mundiais têm peso 2 por se tratarem de competições que reúnem todos os principais atletas;
  • Ginástica artística – se eu adotasse para essa modalidade o mesmo critério da rítmica e da de trampolim resultados ficariam distorcidos porque os principais atletas da ginástica artística disputam poucas etapas da Copa do Mundo. As estadunidenses, por exemplo, consideradas as melhores do mundo, preferem disputar o campeonato local, que é muito forte. Por isso determinei que o favorito ao ouro olímpico será o atual campeão mundial e para a prata e o bronze desenvolvi um ranking baseado nos resultados do Mundial e da Copa do Mundo. Conheça a explicação completa aqui
  • Canoagem velocidade, remo e maratona aquática – para essas duas modalidades montei rankings baseados nos resultados dos Campeonatos Mundiais de 2015 (em que a pontuação tem peso 2) e das etapas da Copa do Mundo realizadas no segundo semestre de 2015 e no primeiro de 2016.

neymar-getty-images

O Brasil não se classificou para o Mundial Sub-20 de 2013 e por isso não aparece entre os favoritos para as Olimpíadas. Com Neymar em campo talvez a história no Rio seja diferente…

Dois esportes exigiram algumas exceções. Como o futebol masculino permite somente três jogadores acima de 23 anos usei como base dos resultados o Mundial Sub-20 de 2013. Os atletas que estiveram naquela competição devem formar a base dos times que vem à Rio-2016.

Já no tênis precisei montar meus próprios rankings para as provas de duplas, unindo os atletas da mesma nacionalidade melhores colocados no ranking das associações de tenistas (ATP, no masculino, e WTA, no feminino). Isso ocorre porque nas listas oficiais dessas associações os atletas aparecem de forma individual e não em dupla.

*Os esportes baseados em rankings são: badminton, basquete, boxe, canoagem slalom, ciclismo (4 modalidades), esgrima, futebol (feminino), golfe, handebol, hipismo (três modalidades), hóquei, judô, pentatlo moderno, taekwondo, tênis (só as provas de simples), tênis mesa, tiro com arco, tiro esportivo, triatlo, vela, vôlei e vôlei de praia.