Sétimo dia: Desempenho do Brasil começa a preocupar

Pela minha previsão o Brasil deveria ter conquistado duas medalhas de prata nesta sexta-feira, sétimo dia de competições: Bruno Fratus na natação e Marcelo Melo/Bruno Soares no tênis de duplas. Mas os tenistas já tinham sido eliminados nas quartas de final e Fratus chegou em sétimo lugar na final dos 50m livre.

RIO DE JANEIRO, BRAZIL - AUGUST 12:  Anthony Ervin of the United States celebrates winning gold in the Men's 50m Freestyle Final on Day 7 of the Rio 2016 Olympic Games at the Olympic Aquatics Stadium on August 12, 2016 in Rio de Janeiro, Brazil.  (Photo by Clive Rose/Getty Images)

A decepção de Fratus tinha fundamento: antes das Olimpíadas ele era dono da segunda melhor marca dos últimos 12 meses, atrás somente do francês Florent Manaudou, campeão em Londres-2012. Mas na final o francês ficou com a prata e o vencedor foi o estadunidense Anthony Ervin (na foto lá em cima). O bronze ficou com Nathan Adrian, também dos EUA, como eu previra.

Por enquanto o Brasil tem um ouro e dois bronzes no judô é uma prata no tiro esportivo. Eu tinha previsto ouro no tiro, prata na natação e no tênis e dois bronzes no judô.

As disputas que cheguei mais perto de cravar o resultado completo no sétimo dia foram no hipismo e no levantamento de peso. Na prova de adestramento por equipes cravei o ouro da Alemanha e a prata da Grã-Bretanha. Minha aposta para o bronze, a Holanda, ficou em quarto lugar. Os EUA terminaram em terceiro.

w1KYZVau

Na foto acima a equipe alemã campeã do adestramento por equipes.

No levantamento de peso feminino acertei o ouro da norte-coreana Tim Jong Sim e a prata da bielorrussa Darya Naumava.

Meu aproveitamento no acerto dos resultados caiu para 22,4%, mas o acerto no número de medalhistas subiu para 49,9%.

Quinto dia: nenhum pódio completo e percentual em queda

No quinto dia das Olimpíadas não acertei nenhum pódio completo e meu percentual de acerto de resultado caiu para 22,3%. O percentual de acerto de medalhistas também caiu, para 48,5%. 

nijat-rahimov_lift

O pódio que cheguei mais perto de acertar foi no levantamento de peso masculino. Cravei o ouro de Nijat Rahimov (foto), do Cazaquistão – que bateu o recorde mundial e consequentemente sua própria marca, até então a melhor dos últimos 12 meses. Acertei também o bronze do egípcio Mohamed Ihab.

Já a prata eu achei que ficaria con o armênio Andranik Karapetyan, mas ele quebrou o braço durante uma tentativa de levantar 195kg.

Levantamento de peso: Doping da Rússia favorece a Coreia do Norte

Veja aqui a previsão atualizada dos resultados do levantamento de peso na Rio-2016.

kim kuk hyang_2

A confirmação dos inscritos no levantamento de peso mostrou duas coisas: 1) que a China é realmente imbatível nesse esporte – dos sete ouros previstos já posso afirmar que eles ganharão seis -; e 2) que o escândalo de doping não para de fazer estragos à participação da Rússia. Os dois atletas russos que eram favoritos à medalha de ouro foram impedidos de vir à Rio-2016. Com isso a Coreia do Norte será a segunda maior força do esporte, com vitória em três categorias. Em terceiro ficará o Cazaquistão, com dois ouros.

O russo Aleksey Lovchev, atual campeão mundial da categoria +105kg, foi afastado por doping no ano passado e em junho pegou um gancho de quatro anos. Já Tatiana Kashirina, favorita na categoria +75kg, acabou sendo excluída das Olimpíadas devido à recomendação do Comitê Olímpico Internacional de que atletas já punidos por doping no passado não fossem inscritos na Rio-2016, mesmo que já tivessem cumprido a pena. Kashirina esteve afastada por doping por dois anos, de 2008 a 2010.

A favorita no lugar de Kashirina é a norte-coreana Kim Kuk Hyang (foto).

Levantamento de peso: Previsões quase confirmadas

A última competição de levantamento de peso antes das Olimpíadas terminou na semana passada na Nicarágua. Isso quer dizer que quase não há mais como a previsão mudar: serão sete ouros para a China, dois para o Cazaquistão, dois para a Rússia, um para o Azerbaijão, um para a Bielorrússia, um para a Coreia do Norte e um para o Irã.

Zhiyong+Shi

Digo “quase” porque ainda falta a lista de inscritos e o levantamento de peso é um dos esportes mais ameaçados pelo doping. Há uma chance grande de alguns desses atletas serem impedidos de disputar os Jogos.

Na foto acima o veterano chinês Shi Zhiyong, de 36 anos, campeão olímpico em Atenas-2004 e favorito ao ouro na categoria 69kg.

Levantamento de peso: supremacia chinesa

Veja aqui a previsão dos resultados do levantamento de peso na Rio-2016.

rostami

Das 15 medalhas de ouro em disputa no levantamento de peso a China vai levar sete. A disputa é saber quem será o segundo melhor país na modalidade. No mês passado o russo Artem Okulov perdeu a liderança da categoria 85kg para o iraniano Kianoush Rostami (este aí da foto), mas a Rússia permanece como o segundo país com o melhor desempenho, com previsão de dois ouros e três bronzes. O Cazaquistão vem logo atrás, com dois ouros e um bronze.

Se Rostami ficar mesmo com o ouro e Okulov com a prata será a revanche do Campeonato Mundial do ano passado, nos EUA, quando o russo foi campeão e o iraniano ficou em segundo.

Por falar em russos, o levantamento de peso é outro esporte – além do atletismo – em que eles estão sob pressão por acusações de doping. Este mês foi anunciado que Apti Aukhadov pode ter cassada a medalha de prata que conquistou em Londres-2012 na categoria 85kg. Rostami, que foi bronze naquela prova, herdaria a prata.

E não são só os russos que estão sob pressão. O Cazaquistão corre o risco de perder quatro medalhas que ganhou em Londres.