Segundo dia: Acertei mais 12 e ultrapassei a meta

Como digo na descrição do blog, minha meta é ultrapassar meu desempenho nos Jogos de Londres-2012, em que acertei 23,6% dos resultados. Hoje acertei mais 12 e cheguei ao percentual de 24,6% de resultados certos. Isso quer dizer que um em cada quatro resultados das Olimpíadas foi previsto por mim. Curiosamente, no número de medalhistas (independentemente da posição no pódio) meu aproveitamento caiu de 47,4% no primeiro dia para 45,6%.

judo

Ainda não consegui acertar um pódio inteiro. As melhores previsões de hoje foram em disputas de judô, natação e tiro com arco.

No judô feminino acertei o ouro de Majlinda Kelmendi, do Kosovo, e o bronze de Misato Nakamura, do Japão. A romena Andrea Chitu, que eu achei que ficaria com a prata, perdeu na repescagem para a brasiliense Érika Miranda. E a própria Érika – minha outra aposta para o bronze – acabou perdendo a disputa dessa medalha para a japonesa. Na foto acima, o início da luta entre as duas. 

Na natação cheguei perto de cravar o pódio dos 100m peito masculino. Acertei no ouro do britânico Adam Peaty e na prata do sul-africano Cameron van der Burgh. Mas o estadunidense Kevin Cordes, que eu achei seria bronze, ficou em quarto lugar. Perdeu por pouco para o compatriota Cody Miller.

No tiro com arco, na disputa por equipes feminina, a Coreia do Sul levou o ouro e a Rússia, a prata. Previ que os indianos ficariam com o bronze, mas eles acabaram cruzando com a Rússia nas quartas de final e foram derrotados. Em terceiro lugar ficou Taiwan.

Decepção com o Brasil

O desempenho do Brasil tem sido preocupante. A essa altura das Olimpíadas eu tinha previsto que já estaríamos com um ouro (do Felipe Wu no tiro esportivo) e um bronze (da Érika Miranda no judô). Até agora estamos só com uma prata, do Wu. O pior é que a previsão de sair o próximo ouro é só no dia 12, quando acontece a final do vôlei de praia feminino.

Advertisements

Sete previsões certas no primeiro dia

No primeiro dia das Olimpíadas acertei sete das 38 medalhas em disputa, um percentual de 18,4%. E acertei outros 11 medalhistas, mas com a posição errada – um aproveitamento total de 47,4% de medalhistas.

coreia tiro com arco

Os destaques foram os 400m livre masculino da natação e a prova de equipes do tiro com arco, em que acertei o ouro e a prata. Nos 400m livre previ a vitória do australiano Mack Horton e a prata do chinês Sun Yang. O britânico James Guy, que eu achei levaria o bronze, ficou só em sexto lugar. O terceiro foi o italiano Gabriele Detti.

No tiro com arco acertei o ouro da Coreia do Sul e a prata dos EUA. Mas a China, que eu achei que ganharia o bronze, perdeu a disputa do terceiro lugar para a Austrália. Foi o resultado que cheguei mais perto de acertar.

Na foto a equipe de tiro com arco da Coreia do Sul que ganhou o ouro.

Tiro com arco: Segundo posto fica com os EUA

Veja aqui a previsão atualizada dos resultados do tiro com arco na Rio-2016.

kim woojin arco

Já que o posto de melhor país no tiro com arco está assegurado – a Coreia do Sul é praticamente imbatível -, a dúvida fica em torno de qual será o país com o segundo melhor desempenho. Na última atualização do ranking mundial antes dos Jogos Olímpicos os EUA tomaram esse lugar de Taiwan.

Os estadunidenses se tornaram favoritos à prata na prova por equipes masculina e chegaram à previsão de uma prata e um bronze no total. Já os taiuaneses “perderam” para a Índia o bronze que ganhariam na disputa por equipes feminina e vão terminar “só” com uma prata.

A foto é do sul-coreano Kim Woojin, favorito ao ouro na prova individual.

Tiro com arco – só vai dar Coreia

Veja aqui a previsão de resultados do tiro com arco na Rio-2016.

archery

A Coreia do Sul já se destaca no tiro com arco desde as Olimpíadas de 1984, mas na Rio-2016 o país vai conseguir um feito inédito: conquistar as quatro medalhas de ouro em disputa (duas individuais e duas em equipe). Por quatro vezes os sul-coreanos estiveram perto dessa marca – eles ganharam três ouros em 1988, 2000, 2004 e 2012. Ao que o ranking mundial indica, desta vez a quarta medalha vai vir.

A disputa mais concorrida será mesmo em torno do segundo melhor desempenho. Por enquanto esse posto ficará com Taiwan, com uma prata e um bronze, seguida de China e Rússia, com uma prata cada.

A foto acima é da equipe feminina da Coreia do Sul, que venceu a disputa em todas as edições olímpicas desde que a prova por equipes foi introduzida, em 1988. Já são sete títulos consecutivos. Rumo ao oitavo!